Tweetar

Compartilhar



Bolinha é uma cadelinha com aproximadamente 20 quilos, sendo de porte médio a grande.

Ela vivia em companhia de moradores de rua, entrou no cio e acabou prenha.

Os filhotes nasceram e sobreviveram como foi possível, até o dia que os tutores decidiram partir e, percebendo que os filhotes não tinham idade para acompanha-los, os deixaram pra trás. A Bolinha então escolheu o abandono, pois se recusou a deixar os filhos.

Foram resgatados e levados a um lar temporário. A Bolinha ganhou uma caminha bem macia, água limpinha e uma vasilha de ração sempre cheia.

Os filhotes cresceram fortes, saudáveis e, assim que desmamaram, foram adotados.

A Bolinha foi depois castrada, vacinada e já estava pronta pra começar uma nova vida. Estava saudável e com exame negativo para Leishmaniose.

Ela era a cadelinha mais dócil e carinhosa do mundo, daquelas que gostam de dar e receber abraço.

Pulava nas pessoas fazendo festa e não dispensava um chamego. Jovem ainda, tinha energia pra correr e brincar um dia inteiro, se lhe tivesse a oportunidade.

Não servia para guarda, pois não estranhava ninguém. É cadelinha de companhia.

Decidimos então levar a criança para uma feira de adoções. E lá ela acabou conhecendo aquele que seria, dali em diante, seu melhor amigo de infância. O Fabrício estava ali pra escolher um cãozinho, e tinha à disposição um monte de filhotes, de cães pequenos, bonitinhos e daqueles capazes de encantar qualquer criança.

Mas, dentre todas as opções, ele escolheu a Bolinha.

Nós até que insistimos e pedimos pra ele fazer uma pose bem legal com a Bolinha, pra registrarmos a adoção, mas o Fabrício é um menino especial. Ele estava mais interessado em reforçar os vínculos.

E não pudemos deixar de ouvir as promessas que foram feitas naquele encontro: _Você será feliz, Bolinha. Vou ser o melhor dono que você poderia ter.

Promessas feitas e promessas compartilhadas pelo restante da família. Rejane e Vinícios, os pais, apoiaram a escolha do filho, na certeza de que aquela escolha fará de todos eles pessoas um pouco melhores.

O Fabrício nos revelou também que é craque de futebol e que adora brincar de bola. E como a vida sempre se encarrega de unir as pontas soltas, a Bolinha é uma cadelinha cheia de energia e não dispensa uma boa bolinha.

Fica aqui registrado nosso muito obrigado aos amigos, Vinícios, Rejane e Fabrício, pela acolhida da Bolinha. Desejamos que ela encha a casa e vida de vocês de alegria.