Tweetar

Compartilhar



Aqueles que vão mudar o mundo estão chegando. Mas precisam encontrar solo fértil e pais dispostos a conduzi-los, até que estejam prontos pra assumir suas responsabilidades.

Dudu é um pássato preto que morava em um viveiro. Foi capturado em um passado remoto e, num dado momento, dado de presente a duas crianças, Caio e Letícia, que aprendiam diariamente que o bichinho precisava de cuidados, comida e água fresca.

Dudu 1

Mas eles são filhos de Raquel e Alysson, que acharam que as crianças precisavam aprender valores ainda mais importantes.

Depois de conversar, contar histórias e mostrar a eles que o Dudu merecia viver livre, decidiram partir para a ação.

Foram as próprias crianas que abriram a gaiola. O pássaro saiu andando. Há muito tempo ele não usava as asas.

Dudu 2

Mas, como todos nós estamos aqui pra aprender coisas novas, nunca é tarde.

Dudu 3

A certa distância, as crianças acompanhavam os movimentos daquele pássaro preto descobrindo o mundo.

Pisava a terra, beliscava alguma semente, experimentava sabores novos.

Dudu 4

Frutinhas silvestres e água corrente eram um convite.

Dudu 5

Os dias passaram, o Dudu fortaleceu as asas, até estar pronto para alçar voos mais altos.

Dudu 6

Naquele território, alguns parentes próximos esperavam por ele.

Dudu 7

Algumas semanas depois, chegava a hora de libertar o Dudu. E sua família estava lá, pra abrir o viveiro, para assistir seu primeiro voo em liberdade, pra dizer o último adeus e desejar a ele toda a felicidade do mundo.

Dudu livre 1 Dudu livre 2

Mas o Dudu estava tranquilo demais e não se sentia preso ali. Não deixou o viveiro e continuou pousado nos galhos da amoreira, feliz, piando alto.

Dudu livre 3

Foi encorajado pela aproximação de alguns parentes próximos, e de outros nem tão próximos. Mas, nem isso o fez deixar o viveiro naquela manhã de sábado.

Dudu livre 4

A notícia que tivemos foi de que ele saiu somente no dia seguinte, depois da chegada de um bando de pássaros pretos nativos. De dentro do viveiro, ele ouviu a algazarra de seus irmãos e partiu para encontrá-los.

Nunca saberemos o que aconteceu, se ele encontrou seus irmãos, se foi aceito no bando, se encontrou uma namorada e se constituiu sua própria família. Mas temos a certeza de que o Dudu está livre, como nunca deveria ter deixado de ser.

As crianças seguiram a vida, felizes por terem proporcionado ao Dudu uma vida mais feliz. Que fique o exemplo. Se queremos um mundo melhor, são estes os valores que precisamos ensinar às nossas crianças.

Lipe 15

Se não pudermos transformar o mundo inteiro, que sejamos capazes de transformar o pedaço que nos for confiado.
https://www.facebook.com/oloboalfa.projeto

Dudu 9

Cada espécie viva tem seu momento evolutivo. Suas características físicas, habilidades, hábitos alimentares ou costumes são inerentes às necessidades evolutivas do espírito que lhe habita.

Os animais não têm dívidas cármicas, não têm livre arbítrio e nem têm o que aprender com a dor e o sofrimento.

Aprisionar um animal, condenando-o à escravidão por décadas, é retirar dele a chance de cumprir a etapa evolutiva para a qual veio ao mundo. É retardar a evolução do Planeta como um todo.

E, neste caso, não faz diferença se o animal é ou não “legalizado”.

A crueldade é a mesma.

Dudu