Tweetar

Compartilhar



Não sei descrever o que senti, quando esse pedido de ajuda chegou até mim.

Foi uma voluntária do Canil Municipal de Gravataí, quem me enviou um e-mail, sobre um anjo chamado Estrela.

A princípio, parecia se tratar de mais um caso de adoção. Mas, ao ler o texto e ver as imagens da cadelinha, eu fiquei paralisada.

Uma delicada cadelinha, com deficiência visual, vivendo na baia de um canil. Isso jamais deveria acontecer.

Cães especiais deveriam ser os mais amados e cuidados. Mas, infelizmente, não é isso o que vemos acontecer na nossa sociedade. Frente à menor dificuldade, seus “donos” os abandonam pelas ruas.

Estes peludos são os que mais sofrem quando são abandonados, pois estão acostumados com os cuidados de seus “donos” e, de uma hora para outra, se vêem sozinhos e perdidos.

Não dá nem para imaginar o pavor que devem sentir nos primeiros dias. Isso sem contar quando a fome, a sede e o frio batem e eles não têm ninguém para lhes oferecer ração, água e uma cama quentinha. Que falta devem sentir do aconchego a que estavam acostumados!

Ainda falta muito para as pessoas entenderem que nada acontece em nossas vidas por acaso, e o quão precioso é um animalzinho especial.

Não sabemos como a pequena Estrela foi parar nas ruas. Só sabemos que o Canil recebeu um pedido de resgate para uma cadelinha cega.

Desde então, os funcionários e voluntários do local têm feito de tudo para que a doce cadelinha fique bem. Mas, se para os cães sem deficiências, já é muito difícil se adaptar a um abrigo, imaginem para uma cadelinha cega.

É certo que a peludinha não gosta de ficar sozinha. Ela fica desorientada quando percebe a presença de alguém e, logo que ouve a voz da pessoa, se vira para ela, como se dissesse: “_Estou te vendo e gosto da sua companhia”.

0045 estrela procurando as pessoas

Estrela é uma poodle de porte bem pequeno (pesa 5 quilos apenas). Ela é muito calma e carinhosa, daquelas cadelinhas que nasceram para ficar no colo o dia todo.

Ela mais parece uma bolinha de algodão, de tão branquinhos e macios que são seus pelos. Já está castrada.

Estrela é aquela cadelinha que vai encher sua vida e sua casa de luz, paz e alegria.

Ela precisa saber que, mesmo sendo cega, não perdeu sua importância e que ainda pode ser muito amada e estimada.

Atualização:

Estrela foi tosada e agora é possível ver que ela é bem velhinha e, que sua cegueira atingiu os dois olhinhos.

0045 estrela atualização rs

As voluntárias observaram que suas tetinhas são bem desenvolvidas, o que significa que ela já teve muitas crias. Isso nos faz pensar que ela era matriz de canil. Mas aí, ficou velha e, como não podia mais procriar, foi descartada, como um pano velho.

Mas triste que ser descartada, cega e velha, é ter passado a vida inteira, sem nunca ter recebido amor nem carinho. Afinal, ela servia, exclusivamente, para parir e, assim, gerar lucro a seu tutor.

Embora Estrela fosse muito dócil, carinhosa e linda, ela era ceguinha e velhinha. Imaginava-se  que isso viesse a dificultar a sua adoção.

Mas não foi isso que a história mostrou. A história dela chegou a alguém tão especial quanto ela, disposta a acolhê-la com todo o amor que ela merece.

Que os protetores divinos a protejam.

Abaixo, fotos da menina com sua nova família. Que sejam todos muito felizes. Abençoados já sabemos que são.

Estrela adotada

Eis a mensagem que recebemos da Deise, voluntária lá do canil municipal de Gravataí, e que por muito tempo cuidou da Estrela.

Oi Andressa,

Saindo da faculdade hoje, me liga a professora Cristina. Encantada com a Estrela, disse que é o anjo da vida dela. Que está reinando na casa agora.

Alimenta-se bem, ativa, brinca e faz tudo sozinha. Já foi ao veterinário e tirou um canino que estava pendurado kkk. Que coisa mais amada, poodle amooooo!

O quadro geral dela é bom, mas o Dr. disse que ela é velinha. Chutou uns 14 anos. A Cristina disse que não importa, e que enquanto ela viver, será muito feliz.

Já vai virar marisqueira, pois no verão a Cristina disse que leva os peludos para praia…sorry!

A Cristina falou que sai do colégio com coração apertado pra ir pra casa matar saudades. Então amiga, fiquemos em paz. Graças a São Chico, tudo terminou bem!

Obrigada por tudo bjus!

Um resgate de: Canil Municipal de Gravataí. Voluntária Deise: deise_luz@sicredi.com.br