Tweetar

Compartilhar



O pedido de ajuda dava notícias de que elas estavam havia 3 dias, na margem da estrada, sem a mãe.

Dizia a lenda que alguém havia improvisado um abrigo com lona plástica, apenas para protege-las da chuva direta, embora sequer as mantivesse secas.

As fotos iniciais mostravam o abrigo improvisado, e também uma garrafa plástica cortada, que lhes servia como bebedouro.

Por muito pouco, elas teriam mesmo virado a lenda das lobinhas que, devolvidas à natureza, não sobreviveram.

Observando mais de perto, era possível ver filhotes indefesas, com aproximadamente 2 meses de vida, acuadas e tristes. Estavam debilitadas, destruídas e não encontravam forças sequer para abanar os rabinhos.

Foram acomodadas no carro, sobre um lençol seco. O resgate aconteceu à noite, mas parecia que elas estavam há dias sem dormir, talvez com medo das noites, que ali eram ainda mais escuras e assustadoras.

Elas não apenas dormira. Parece que desmaiaram, num somo profundo e restaurador. Até mesmo o barulho e o balançar do carro ajudou a embalá-las.

Depois de mais de uma hora de estrada, chegaram ao destino: um canil improvisado bem pequeno, mas com caminha seca, água limpinha e comidinha bem gostosa.

Assim que a porta do carro se abriu, elas se interessaram pra conhecer o novo mundo que se descortinava.

O primeiro exame indicou que uma delas estava com a patinha quebrada. Todas estavam infestadas de pulgas, de vermes e com uma desnutrição bem avançada.

A sorte é que a desnutrição ainda era reversível. Com boa ração, elas se recuperaram totalmente. A patinha quebrada foi imobilizada.

Receberam os nomes de Bia, Bianca, Catita e Duda. Estão na ordem abaixo.

Hoje, apenas alguns dias depois do resgate, estão saudáveis e prontas para adoção.

Contato: Nelma: (31) 9 9209.1342 / Eliana: (31) 9 9956.6810.

E-mail: eliana.malta@terra.com.br

No vídeo abaixo, no dia do resgate, com as mocinhas já em segurança.

Número do anúncio: fev18-0117-mgCZ