Cazuza era apenas um filhotinho quando foi resgatado, em setembro de 2015. Ele não andava e parecia ter sido atropelado. Na época, d. Tereza ainda morava no Bairro Jaraguá.

Ele não tinha ferimentos externos e caminhava sozinho, embora com dificuldade.

Sentia muita dor e tudo indicava que precisaria de cuidados médicos especializados. Com todas as dificuldades, dona Tereza conseguiu a avaliação ortopédica pra ele.

Os exames foram aprofundados e, diante das lesões, a conclusão dos veterinários foi que ele foi pendurado pelo rabinho e rodado no ar até ser jogado em algum lugar. Havia um deslocamento severo na base da coluna, que sugeria esse puxão forte pelo rabinho.

O resultado dessa agressão foi um rabinho sem movimento e uma dificuldade motora nas patas posteriores.

A adoção não veio e dona Tereza moveu céu e terra pra dar a ele o tratamento que precisava. Até fisioterapia e acupuntura ele teve e, ao final, voltou a andar quase normalmente.

O rabinho não balança e seu andar é cambaleante, mas ele tem vida normal. Sabe, como ninguém, pedir carinho e colo.

As fotos acima mostram o momento em que um voluntário tentava segurá-lo para as fotos, mas tudo que ele queria era um punhadinho de colo. O rabinho, conforme mostrado nas fotos, está permanentemente para baixo, sem nenhum movimento.

Nas fotos acima, ele tinha apenas 3 meses de vida. De lá pra cá, já se passaram mais de 4 anos. Desde o início ele esteve anunciado em nosso site, mas nunca teve um só pretendente sequer.

Cazuza continua carente e pedindo afeto a quem dele se aproxima.

Um dia, talvez, ele volte a ser um cãozinho feliz, mas precisará de alguém disposto a ensiná-lo sobre estima e amizade. É que, com quase 100 cães pra dar atenção, d. Tereza não tem tempo pra dar atenção individualizada a nenhum deles.

O Cazuza precisa muito ser salvo. Precisa de uma mãe.

O tratamento devolveu a ele a mobilidade das pernas, mas, infelizmente, não foi capaz de devolver-lhe o direito de abanar o rabinho.

Apesar disso, ele é feliz. Em fevereiro de 2021, passou por uma cirurgia para corrigir uma dificuldade que ele tinha de urinar. Teve parte do pênis amputada, mas hoje está totalmente recuperado e já podemos dizer que ele tem vida normal.

Como um SRD médio e de pelo curto, nunca teve um pretendente. Ele passou metade da vida no abrigo e tem agora a outra metade pra se arrepender de ter nascido. Vive no abrigo de dona Tereza, esperando pelo milagre da adoção.

E nada pode ser mais angustiante quando iniciamos um trabalho assim do que ver decepção no olhar dos amigos que fazemos.

Contatos para adoção: Ana Paola: (31) 9 9926.3999. / Crispim: (31) 3213.6205.

E-mail: apaolamoura@hotmail.com / crispim@oloboalfa.com.br

Número do anúncio: fev21-0008-mgCZ

Comentários / Mais informações sobre o anúncio devem ser obtidas com os anunciantes, no telefone ou e-mail indicados acima.