Tweetar

Compartilhar



Apesar de tudo isso, continuo acreditando que o mundo está mudando e que vamos viver pra ver uma profunda transformação na forma como os animais são tratados.

Já não vejo mais histórias assim como “banho de água fria”. Prefiro acreditar que as histórias tristes são necessárias para sensibilizar cada vez mais pessoas. A proteção de animais precisa se espalhar como uma epidemia, até o dia em que todos os humanos sobre a terra sejam protetores de animais.

Àqueles que ainda insistem em cometer atrocidades assim, a vida se encarregará de trazer o retorno merecido.

Goiaba e Angel 2

Estes dois cãezinhos, já idosos e com poucos dentes na boca, foram jogados de um carro, no dia 07/01/2012, a poucos metros da Via Expressa. Alguém, em uma caminhonete importada, último modelo, parou no meio da rua, abriu a porta e despejou os dois, primeiro o Pinscher e depois a Cocker.

A Cocker tem catarata e glaucoma nos dois olhos e não enxerga nem vulto. Estava completamente desnorteada, cheirando o chão, como se buscasse entender onde estava.

O Pinscher ficava o tempo todo perto dela, como se a guiasse, tentando tirá-la do meio da rua e levá-la para a calçada.

Foram resgatados e recebidos de braços abertos na Cão Viver. Chegando lá, enquanto aguardavam pelo primeiro atendimento, ficaram soltos com outros cães, mas sempre juntos. Não se desgrudavam.

Receberam os nomes de Goiaba e Angel. O Goiabinha é o guardião e protetor da Angel, muito embora ele também precise de proteção, tanto ou mais que ela. Dá pra contar nos dedos os dentes que ainda tem na boca.

No momento do resgate, não pareciam estar com fome, já que comeram a ração que lhes foi oferecida, sem muito interesse.

Mas, ao chegarem na Cão Viver, percebendo a Dra Priscila que eles não tinham dentes pra comer ração sólida, ofereceu-lhes uma suculenta latinha de patê. Foi aí que mostraram o tamanho da fome que sentiam. O Goiabinha estava muito magro, mas descobrimos que era mesmo em razão da dificuldade para comer.

O Goiaba, apensar da idade, é bem espertinho e ativo. Teria boas chances de adoção.

Já a Angel, embora estivesse em ótima forma física, precisaria encontrar donos realmente especiais para aceitá-la. Apesar da deficiência, ela teria total condições de se adaptar em casas ou apartamentos, desde que não tenham escadas. Ainda assim, a adoção seria improvável. Afinal, iguais a ela, existem vários outros esquecidos nos abrigos.

Traz na barriga os sinais de uma cirurgia, possivelmente uma castração anterior, indicando que já foram bem cuidados.

Despedimo-nos dos dois, naquele dia, com essa última imagem. Confinados na enfermaria mas, seguros. Restava-nos esperar, com grande angústia no peito, que a história deles não terminasse no abrigo. Esperávamos que eles encontrassem novos donos, pouco importando que ficassem juntos.

Mas a vida cuidou de melhorar muito as coisas. Longe de Belo Horizonte, mais precisamente em Sorocaba, interior de São Paulo, alguém muito especial viu o anúncio dos dois e se encantou. A Camila mora com a família em uma confortável casa, com um ótimo território para lobos. Já tem em casa outros dois cães, também resgatados, mas achou que poderia receber mais dois.

Enviou-nos uma mensagem, colocando-se à disposição para recebê-los. Ela estava mesmo disposta a adotar os dois juntos, mesmo sabendo que já estavam velhinhos e necessitariam de alguns cuidados especiais. Sabíamos que eles mereciam donos especiais e a vida cuidou de dar-lhes a melhor dona que poderiam ter encontrado.

Restava, entretanto, encontrarmos uma forma de levá-los até Sorocaba. O pedido de ajuda foi postado e ficamos aguardando que a carona aparecesse. Não precisamos de muitos dias e recebemos muitas e muitas mensagens, alguns oferecendo carona em determinadas datas, outros se propondo a ajudar no rateio de um Taxi Dog e muitos pedindo informações, preocupados com o desfecho de uma história, até então, muito triste, mas com uma real expectativa de final feliz.

Dentre as ofertas que tivemos de carona, surgiu a Rachel, também protetora, que se prontificou a levá-los no sábado seguinte. Um carro da família estaria indo de Belo Horizonte para São Paulo, tendo a Camila se prontificado a buscá-los em São Paulo.

Eles partiriam em uma manhã de sábado. Na sexta-feira, iniciaram os preparativos para a partida dos dois “irmãos gêmeos”. Eles levariam na bagagem um punhado de ração amolecida, para a viagem, algumas vasilhas para água, cobertores e duas latinhas de patê. Afinal, a viagem seria longa e eles precisariam parar pra descansar.

Ficaram no abrigo exatos 7 dias. Foram resgatados no sábado e partiram para a nova casa no sábado seguinte. Enquanto estiveram no abrigo, pudemos conhecer um pouco os hábitos e manias de dois lobinhos em idade avançada. A Angel, sempre que sente a presença de alguém perto dela, cuida de se enfiar entre as pernas dos visitantes, como se buscasse manter o contato, tendo a certeza de que sua visita não irá embora.

Goiaba e Angel 5

O Goiaba é comportado e muito dócil, embora se irrite na hora de vestir ou de tirar as roupas.

Enquanto estiveram na Cão Viver, conheceram vários outros cãezinhos abandonados, em situação tão triste quando a deles. A diferença é que nenhum deles teve tanta sorte quanto nossos dois protagonistas, quando o assunto é encontrar novos donos.

De todos os lobos que dividiram com eles o espaço, nenhum sentirá mais saudade que o Doug. Este Salsicha chegou na Cão Viver paraplégico, sem conseguir sequer se firmar sobre as patas traseiras.

Mas depois de alguns exames, constatou-se que seu problema poderia ser revertido, desde que tivesse carinho e assistência médica. Claro que ele teve o melhor. Hoje ele já corre e pula.

Na véspera da partida da Angel, fez questão de nos mostrar o quanto havia se afeiçoado àquela linda menina de cabelos dourados. Posicionou-se diante da câmera, como se quisesse que aquela manifestação de carinho ficasse registrada.

A Angel, embora sociável, ficava todo o tempo na porta do canil, olhando para o alto e uivando, pra nos mostrar que não queria viver ali, apesar de todo o carinho e cuidados que recebia.

E, nas fotos tiradas de fora do canil, o reflexo das telas indicavam que aquela cadelinha era mesmo iluminada. Vale também uma ajudinha de fotoshop.

O dia da viagem chegou, ficando para a Ivone, funcionária da Cão Viver, a missão de preparar a mala dos lobinhos. Claro que ela fez mais que separar vasilhas e amolecer ração. Fez questão, pessoalmente, de escolher a roupa com a qual eles viajariam. Depois de tudo arrumado, posou para a foto de despedida.

Goiaba e Angel 8

Goiaba e Angel partiram para uma nova vida, deixando muito mais que saudade.

Goiaba e Angel 9

Na hora de partir, um último gole de água e…

Goiaba e Angel 10

uma última despedida, desta vez, de mim. Parecia que Angel sabia que fui eu quem a resgatou logo após o abandono.

Assim que me abaixei pra encontrar o melhor ângulo para uma foto, ela se aproximou e começou a se encostar em mim. E, mesmo sem enxergar, elevou os olhos na direção exata de onde estavam os meus. Naquele momento, eu percebi que ela sabia que fui eu quem a retirou da rua.

Por ser apaixonado por lobos, sempre me dou o direito de exagerar nas interpretações. Em seu gesto de despedida e carinho, entendi a mensagem. Foi como se me dissesse: _Obrigada. Nunca vou te esquecer.

Foram, enfim, acomodados em suas caixas de transporte, seguindo para São Paulo. Deixaram Belo Horizonte às 09:30 horas do sábado, dia 14/01/2012, sendo recebidos em São Paulo pela Camila, que já os esperava para seguirem viajem para Sorocaba.

No dia seguinte, recebemos as primeiras notícias da dupla. Chegaram bem e já estavam se enturmando com a nova família. Três dias depois, já totalmente adaptados, latindo e correndo com os novos amigos, recebemos as primeiras fotos.

Não sabemos quantos anos eles ainda viverão. Vida longa já tiveram, mas, acreditamos que a alegria de um lar e donos verdadeiros, só agora vão poder experimentar.

Por aqui, deixaram muito mais que saudade. Deixaram muitas fotos e uma linda história, que será usada para sensibilizar as pessoas, mostrar a triste realidade do abandono e, quem sabe, mudar o destino dos amigos e companheiros de canil que por aqui ficaram, sem muitas esperanças de dias melhores.

O Doug, que agora nos atrevemos a chamar de “namorado da Angel”, já está recuperado de seu problema na coluna e em condições de proporcionar muitas alegrias a novos donos.

A história completa do Doug está no link:

http://oloboalfa.com.br/doug-sem-palavras/ (FINAL FELIZ)

A Francisca é uma Cocker muito parecida com a Angel. Também cega, tem estado cada dia mais triste, como se já tivesse perdido as esperanças. No dia da despedida, ela estava tomando soro, pois havia desidratado em razão da depressão e tristeza.

Quanto ao Losk, não conseguimos descrever o que aquele cãozinho de colo parece. Fica o tempo todo tremendo, possivelmente em razão da idade. O mais triste, é que ele é um Lhasa-Apso, nascido pra dividir a cama com os donos. Também já está cego e não tem disposição para sequer se aproximar das pessoas.

Tudo indica que ele foi, em algum momento, bem cuidado, ou não teria vivido tanto. Nunca vi um cão mais triste em toda a vida. Quando retirado do canil pelos funcionários, para banho ou tosa, ele se transforma, abanando o rabinho e demonstrando gostar de carinho. Este é o sinal de que tudo poderia ser diferente.

Se continuar na ONG, morrerá em poucos dias, não por falta de cuidados ou de assistência, mas por falta de um dono, de um lar de verdade.  Mas, se adotado por alguém especial, poderá ainda ter uma sobrevida com qualidade. Será capaz de esbanjar a alegria de um cãozinho de estimação. Ele nasceu pra isso.

A Foxie é outra que dividiu o canil com Goiaba e Angel nesta semana em que estiveram na Cão Viver.  Ela é minúscula e tem dois dos mais expressivos olhos, dentre todos os lobos. Não pesa mais que 5 Kilos. Tem as orelhas de pé, como uma raposinha. Apesar disso, não encontrou ainda quem quisesse adotá-la.

Goiaba e Angel 16

Tem também o Antônio, um gigante, mestiço de Golden Retriever. Foi encontrado com a pata traseira destruída por um atropelamento e comida por larvas. Pelo estado de decomposição, o acidente teria ocorrido havia meses. O sofrimento era intenso e a primeira recomendação seria a de eutanásia.

A amputação, para um cão velho, daquele tamanho, seria o mesmo que condená-lo a uma morte ainda mais lenta e sofrida. Ele não teria forças pra suportar o peso de seu corpo sob apenas 3 patas. Também não poderia usar cadeira de rodas, já que seu tamanho e peso não permitiriam ser carregado.

Ele tinha apenas duas opções. A eutanásia ou o mais lento e sofrido tratamento pra tentar salvar sua perna.

Decisões assim são difíceis de serem tomadas. Hoje, apesar de tudo, ele é ágil e esperto (ressalvadas as limitações decorrentes da idade). Já anda sem dificuldade e suas feridas deixaram apenas cicatrizes.

Merece um final de vida mais digno, talvez em um sítio com espaço e outros companheiros caninos. Ele é muito dócil e carinhoso.

Goiaba e Angel 17

O Lourinho parece ter desistido. Ele já espera um final feliz há mais de ano. Sua história daria um livro. Ele já esteve no corredor da morte, já foi dado como morto depois de um grave atropelamento, já passou por muitas, até chegar à Cão Viver.

Esperávamos que não demorasse muito a ser adotado, já que é ainda jovem, muito esperto e brincalhão. Infelizmente, está perdendo a alegria que tanto encantaria seus futuros donos.

O que nos consola é saber que, quando for adotado, ele se transformará. Assim que se sentir estimado e ganhar uma casa, voltará a ser o mesmo cãozinho brincalhão e carinhoso que sempre foi.

A história completa do Lourinho está no link:

http://oloboalfa.com.br/lourinho-e-pretinha/ (FINAL FELIZ)

E não só nos abrigos estão os lobos esquecidos. A Sasha enfrentou um tratamento de seis meses. Da recomendação inicial de eutanásia, à completa recuperação. Hoje ela está perfeita, em plena forma e tem um dos cartões de vacina mais completos dentre todos os lobos.

É a cadelinha mais dócil, carinhosa e carente que já resgatamos. No dia do resgate, ela chegou perto e pulou no meu colo, sem que eu a tivesse chamado.

Por tudo isso, já não tenho mais dúvidas de que eles são guiados por protetores invisíveis.

A história completa da Sasha está em  http://oloboalfa.com.br/sasha-eu-posso-viver/ (FINAL FELIZ).

O Baltazar é um mestiço de Poodle com Pequinês, também cego. Quando o fotografamos pela primeira vez, ele nos recebeu com cheirinhos.

Da última vez que estivemos na ONG, assim o encontramos. Deitado nos fundos do canil, não se deu ao trabalho sequer de levantar a cabeça pra ver quem estava chegando. Nem mesmo os latidos de seus companheiros de canil o tiraram daquela passividade.

Ele também merecia uma segunda chance. Só precisa encontrar um novo dono, pra toda essa tristeza desaparecer como mágica.

Qualquer pessoa que se interesse em tirar um lobinho desse da depressão, precisará apenas de alguns minutos a sós com ele e alguns poucos petiscos.  Os lobos se transformam quando se sentem amados e valorizados.

A história de Goiaba e Angel de fato tocou os corações das pessoas. Com exceção do Antônio, que faleceu pouco depois de publicarmos essa matéria, todos os outros foram adotados: Losk, Francisca, Doug, Baltazar, Sasha, Lourinho e Foxie.

 

Além destes, muitos outros lobinhos especiais esperam uma segunda chance, não só na Cão Viver, como em outras ONGs, ou mesmo com protetores independentes. Todos merecem uma segunda chance.

Seguem outras histórias que merecem destaque, separadas conforme a sua região.

http://oloboalfa.com.br/caes-para-adocao/

http://oloboalfa.com.br/caes-para-adocao/

http://oloboalfa.com.br/caes-para-adocao/?regiao=sp

o-lobo-alfa-h-8

 

Para enviar mensagens ao Projeto O LOBO ALFA, siga o link:

http://oloboalfa.com.br/fale-conosco/?regiao=sp