Bob, Bob Brancão, Branco e etc são alguns dos nomes pelos quais sou conhecido, devido a pelagem branca prevalecer no meu corpo.

Sou um cão sem raça definida, devo ter aproximadamente uns 7 (sete) anos, estou vacinado, castrado e sou de porte médio (uns 14 quilos).

Vivo na cidade de Nova Lima/MG, mais precisamente em um bairro que se chama Oswaldo Barbosa Pena II. Nasci neste bairro e cresci nele também.

Sou muito ativo, atento e dou sinal assim que avisto algo suspeito. Sou alfa e já corri muito atrás de cadelas no cio, já briguei muito com outros cães também por esse motivo; fora que minha diversão favorita é correr atrás de motos e carros e isto muitas vezes ocasiona lesões e ferimentos em mim, já que pessoas me chutam, e tentam me atropelam.

Meus machucados foram vários: miíase (bicheira) no pescoço, orelha machucada, corte em cima dos olhos, entre outros tipos de lesões.

No bairro onde moro há muitas pessoas que gostam de mim e outras que não. Tem um grupo especial de pessoas que me alimenta, cuida quando estou machucado, me vacina e também já me levou para ser castrado…fui castrado dia 30/08/18 e no dia 02/09/18 consegui fugir da clínica com pontos, colar e tudo. Pulei dois muros da clínica e corri muito (já que a clínica fica longe do bairro onde moro). Atravessei a cidade e consegui chegar na minha área.

Parei de achar interessante ficar correndo atrás de cadelas no cio. Já nem ligo mais, contudo, continuo tendo como passa tempo favorito latir forte e alto e correr atrás de motos e carros, o que tem me custado caro: muitas pessoas implicam comigo e ameaçam frequentemente que vão me matar. Como se não bastasse isso, dia 19/01/2019 um motoqueiro que entrega jornais na região me atropelou. Ele caiu, a roda da moto ficou torta, os jornais se espalharam e eu fiquei embaixo da moto por um tempo sentindo muita dor. Depois consegui correr e assim, fugi do local, gritando muito. Desde então estou preferindo ficar quieto, escondido, não estou latindo e saio pouco nas ruas.

Como resultado do acidente, estou com alguns cortes (nas patas, na cara), e o pior foi meu peito. Está com um machucado grande, dói muito e tá inchado. Uma amiga que as vezes me dá alimento e água até apareceu e me deu remédios (antibiótico e antiinflamatório) e passou pomada na ferida. No momento, estou tentando me recuperar mais uma vez. O problema é que se eu sair dessa e continuar nas ruas, sei que continuarei sofrendo agressões.

Preciso de amor, paciência e espaço, e de donos que verdadeiramente goste de cães.

Contato: Cíntia: (31) 9 9454.2943.

E-mail: cintiaminas@yahoo.com.br

Número do anúncio: jan19-0142-mgCZ

Comentários / Mais informações sobre o anúncio devem ser obtidas com os anunciantes, no telefone ou e-mail indicados acima.