Tweetar

Compartilhar



Lori é uma cadelinha que foi encontrada amarrada com um fio no pescoço. Foi resgatada e levada para a Cão Viver.

Assim que chegou, foi deixada separada, em um cercado, até que pudesse ser examinada. Recebeu comida, água e uma toalha para que pudesse se deitar.

A preocupação foi imediata. Ela não percebeu a comida, a água ou o pano. Permaneceu de pé, imóvel. O receio era de que ela, além da visão, não tivesse também o olfato. Este seria, de fato, um problema verdadeiramente insuperável.

Recentemente, resgatamos uma cadelinha cega e surda, mas que tem vida normal, chegando a abanar o rabinho e até ensaiar umas brincadeiras.

http://oloboalfa.com.br/suzi-ela-nao-viveu/

Entretanto, sem o faro, nunca encontramos nenhum. Talvez eles nem sobrevivam sem este sentido, pois 60% de seu cérebro é destinado ao controle do faro.

Logo os voluntários se mobilizaram pra investigar e tentar extrair dela alguma manifestação, alguma interação, ainda que fosse através dos dentes. Qualquer coisa estava valendo, pra tirá-la daquela apatia.

Lori parecia morta. Só faltava mesmo deitar.

A aproximação aconteceu com um pouco de carinho e, aos poucos, ela começou a aceitar petiscos e patê. Começou a demonstrar que sentia a presença de seus novos amigos, e que sentia a falta deles. Mostrava-se calma quando os voluntários estavam por perto, e chorava quando estes tentavam se afastar.

Foi possível perceber que ela tinha o faro, o paladar, a audição e também outro sentido, talvez desenvolvido após a cegueira. Ela sente e interpreta a energia humana.

A Lori é uma lobinha rara. Por tudo que já vivemos, sabemos que criaturas como ela vêm ao mundo com um propósito. Alguém, em algum lugar, precisa muito dela.

A adoção aconteceu, em uma manhã de sábado. Seu anúncio não passou despercebido e ela foi reconhecida.

Não foi escolhida ao acaso. Adoções assim nunca são ocasionais. Pessoas especiais estavam ali, naquele sábado, com o único propósito de buscar a Lori. Não foi uma adoção, mas um resgate.

E no colo de seus novos donos, ela parecia sorrir. Não sabia para que lado estava a câmera, mas não importa. Sabemos, Lori, que a intenção era sorrir para a câmera e agradecer a todos. Que você seja feliz e que traga somente alegrias a sua nova família.

Lori adotada