Tweetar

Compartilhar



Esta criança apareceu em uma praça, na entrada do Bairro Alípio de Melo, ao lado da Avenida Abílio Machado.

Passou o dia ali, se coçando, procurando o que mastigar, se aventurando e entrando em alguns estabelecimentos que tinham as portas abertas.

Ganhou um marmitex e o devorou por inteiro, sem deixar sobras. Despertou compaixão, mas não a ponto de merecer uma segunda chance.

Luluzinha 1

Com apenas dois meses e meio de vida, e quatro quilos de pança (pós marmitex), tudo indica que ela ficará de porte médio a grande. Parece ser mestiça de Labrador.

Chegou ao nosso território e logo tentou se apossar de uma caminha que estava na varanda.

Luluzinha 2

Tentou fazer amizade com a Hanna, que se mostrou mais receptiva que a nossa mascote.

Luluzinha 3

Chegou meio ressabiada, nervosa, com medo do desconhecido. Aos poucos, foi se soltando e descobrindo as novidades.

Luluzinha 4

Não encontramos dela uma única pulga ou carrapato. Apesar disso, a prudência recomendava um banho de frontline.

Depois, mais ração e água. Tinha o pelo brilhante e bem tratado. Estava bem nutrida, hidratada e clinicamente em ótima forma.

Luluzinha 5

Passou por avaliação médica, foi vermifugada e iniciou a vacinação. É uma filhotinha cheia de vida, que já chegou querendo brincar.

Luluzinha 6

É uma inocente criatura que nem imagina o que poderia ter lhe acontecido.

Luluzinha 7

Depois de ser apresentada à Duda e Hanna, e se ambientar na varanda, chegou a hora de conhecer seus companheiros de quarto.

O mais entusiasmado com a novidade foi o Chicolico, que continua por aqui. Luluzinha demonstrou algum receio quando da aproximação da Pintada.

Luluzinha 8

Bebeu água com cloro e foi conhecer os aposentos, mais precisamente o sanitário. Esvaziou as tripinhas, nos mostrando fezes firmes, apesar do marmitex de horas antes. Não havia qualquer sinal de vermes ou infecções.

Luluzinha 9

Ela estava bem cuidada. Talvez não tenha sido abandono, mas o fato é que ela estava ali desde cedo e ninguém deu as caras à sua procura.

Ficará por aqui alguns dias e terá companhia. Será socializada, receberá os cuidados de que precisa e partirá para sua nova vida, e que seja nos braços de gente que a mereça.

Pintada, como sempre, foi nossa melhor anfitriã.

Luluzinha 10

Conheceu também a Estopa, com quem ficou mais a vontade, em razão do tamanho.

Luluzinha 11

Lulu é uma filhotinha saudável e cheia de vida. Está pronta pra começar tudo de novo.

Luluzinha 12

Se os donos aparecerem, melhor, mas eles não parecem muito empenhados em encontra-la.

Luluzinha 13

O tempo passou e sua história ganhou outros contornos. Um novo capítulo começava a ser escrito bem longe de onde ela estava, nos mostrando que pontas soltas existem para serem unidas.

Um pedido de socorro ecoava pelas redes sociais, dando notícias de uma mãezinha com cinco filhotes que tinha sido abandonada no Bairro Cabral, próximo a uma movimentada avenida de trânsito rápido.

O pedido de socorro foi publicado e republicado por muitos dias, sempre com uma atualização, relatando a morte de um ou alguns filhotes.

Na última foto publicada, apenas três dos cinco filhotes originais apareciam e a notícia era de que restavam apenas dois. Isto porque o filhote branquinho havia morrido no dia seguinte, por atropelamento, ou mesmo de frio durante a noite.

Lulu e Zeus 1

Uma protetora viu o apelo e decidiu intervir. Quando o socorro chegou, restava apenas um filhotinho vivo. Mãe e único filho foram resgatados e ganharam uma nova chance.

Zeus, o filhotinho sobrevivente, tinha a atenção integral de sua mãe, mas depois de ter assistido a morte de seus irmãos, ele perdeu a alegria. Parecia saber que teria o mesmo fim.

A mãe tentava animá-lo, mas ele não se mostrava disposto a brincadeiras.

Lulu e Zeus 2

O tempo passou, ele esqueceu a tragédia que abateu sobre sua família e decidiu seguir a vida. Tornou-se um cãozinho alegre e brincalhão, cheio de vida e energia.

Lulu e Zeus 3

Faltava-lhe entretanto, um irmãozinho.

Sabíamos que a mãe Afrodite, sendo uma SRD de pórte médio, estaria condenada a terminar seus dias em um canil ou em um abrigo de animais. Infelizmente, faltam adotantes para SRDs médios e, por isso, a maioria deles acaba morrendo pelas ruas, ou definhando nos abrigos e canis de protetores.

Lulu e Zeus 4

Precisávamos então tentar um adotante para o Zeus. Pelo menos ele tinha melhores chances.

A história completa de Zeus e Afrodite está neste link: http://oloboalfa.com.br/jul15-0025-afrodite-e-zeus-sobreviventes/

Foi levado a uma feira de adoções, onde veio a conhecer a Lulu, que ali também estava para tentar a sorte. Durante uma tarde inteira de domingo, Zeus e Lulu dividiram o mesmo cercado. Ambos SRDs pretos de pelo curto, com a expectativa de ficarem de porte médio.

Havia outros filhotes disponíveis naquela feira, cada um mais bonitinho que o outro. Infelizmente, não havia adotantes para todos. Alguns tiveram sorte e seguiram seu caminho, enquanto outros voltaram ao abrigo onde viviam.

Zeus e Lulu se separaram novamente. Os únicos pretinhos da feira não tinham chamado muita atenção. Eles passaram o dia amuados, como se pressentissem que sua hora ainda não tinha chegado. Ganharam carinho de alguns visitantes, mas a adoção mesmo não aconteceu.

Luluzinha adotada 1

O que não sabíamos é que dentre alguns dos visitantes que lhes deram atenção, um casal (Jênifer e Vitor) tinha prestado mais atenção neles do que imaginávamos.

Luluzinha adotada 2

Luluzinha adotada 3

No dia seguinte, recebemos a mensagem de que queriam a adoção conjunta. A entrega foi marcada para o mesmo dia e horário. Luluzinha e Zeus chegaram à nova casa juntos e, em cinco minutos, já estavam correndo por todos os lados, como se fossem irmãozinhos de ninhada que tivessem crescido juntos.

As bagunças e brincadeiras são diárias. Começam às 5 da manhã e não têm horas pra terminar.

Luluzinha adotada 4

Colo não falta, mas às vezes precisa ser à força. É que a energia da dupla não tem espaço pra ficarem muito tempo no colo. Quando estiverem lá pelos seus 15 anos de vida, talvez estejam mais quietos e aceitem melhor o colo.

Luluzinha adotada 5

Mas chega uma hora que o gás acaba mesmo, geralmente, lá pelas 11 da noite. E aí, eles se refugiam na cama dos pais.

Luluzinha adotada 6

Luluzinha adotada 7

Esta história será atualizada. Mostraremos aqui a evolução e o crescimento das crianças.

Nesta semana, os dois fizeram uma arte daquelas. A bola de um vizinho caiu no território dos pretinhos. E eis o que sobrou dela:

Lulu e Zeus adotados 280815 1

A satisfação de mostrar serviço para a Jenifer e Vitor estava estampada naquelas caras. Afinal, estão ali para proteger o território de qualquer invasor, mesmo que este invasor seja uma inocente bola. Afinal, ninguém sabe qual a intenção dela.

Lulu e Zeus adotados 280815 2

Zeus e Luluzinha