Tweetar

Compartilhar



Seria muito bom dizer que ela caiu do céu, mas, na verdade, foi jogada da janela de um apartamento, do terceiro andar.

Não é possível imaginar o quão graves tenham sido suas artes pra merecer esse tratamento. O fato aconteceu na madrugada, porém o pedido de socorro somente chegou a uma protetora no fim do dia.

A notícia era de que ela havia passado todo o dia agonizando, no mesmo lugar onde havia “pousado” e ainda estava viva.

Foi resgatada e levada a uma clínica veterinária. O caso era mesmo grave e ela precisou de cirurgia, com colocação de pinos. As primeiras fotos revelaram uma cadelinha muito triste e assustada.

Faltava então aguardar a sua recuperação e a alta médica, para que ela pudesse ser observada mais de perto. Afinal, pra ter sido jogada do alto de um prédio, às tantas da madrugada, ela devia ser uma criatura realmente má.

A recuperação foi lenta, como já se esperava, mas já dava pra tirar algumas conclusões. Ela ainda caminhava sem firmar a perna operada, mas já mostrava muito do que há por dentro daquele corpinho quase redondo.

Os dias seguiram e, depois de alguns testes e muita observação, descobrimos o que estava claro desde o início. Ali, naquele corpinho nem tão frágil, habita um anjo, que foi enviado para aquela casa pra ajudar na evolução daquela família, mas eles não entenderam e jogaram a oportunidade de crescimento pela janela.

Melhor assim. Imaginamos o que deve ser a energia naquele lugar e só podemos acreditar que lançá-la pela janela foi o melhor que poderiam ter feito por esse anjo. Infelizmente, ela veio sem as asas e acabou se machucando, contudo nada que não houvesse conserto.

Agora teria a oportunidade de conhecer outra família, dessa vez, uma que a merecesse e que pudesse aproveitar o presente enviado do céu.

As fotos mostram o que foi a recuperação dela. Na sequência abaixo, as brincadeiras com sua mais nova amiga, Nina, uma menina que foi resgatada ainda filhote e cresceu esperando por adoção.

Apesar de tudo, Mel é uma menina feliz. Ela esbanja uma alegria que contagia. Seu sorriso ilumina. Perto dela, ninguém conseguiria ficar triste ou deprimido. Talvez por isso tenha sido enviada para aquela casa, mas algumas pessoas preferem se fechar.

Melhor esquecermos de vez o começo da história.

De tão alegrinha, ela chega a brincar sozinha quando não encontra quem lhe dê trela.

A conclusão a qual chegamos a respeito da Mel é que ela tem o dom da cura. Ninguém consegue ficar triste perto dela. A perna ainda dói, mas ela nem se lembra mais como se machucou.

Depois de duas cirurgias, ainda não tínhamos a certeza de que sua perna seria salva. Talvez precise amputar. Mesmo assim, a adoção aconteceu. Desde o início, o Dr. Márcelo Lobão, da Clíniva Veterinária de Urgência, foi o veterinário responsável pelo tratamento dela. Foi ele quem fez as duas primeiras cirurgias.

E aí aconteceu o óbvio. Desde o resgate, percebemos que a Mel tinha um magnetismo especial. Ela é o tipo de cão que cativa, conquista e encanta sem fazer força. Tais qualidades não passaram desapaercebidas àqueles que conviviam com ela.

O resultado foi a adoção dela pela família do Dr. Marcelo. E a vida segue unindo as pontas soltas, dando a cada um o que é seu por direito.

Um resgate de Simone Rachid: rachid.simone@gmail.com