Esse simpático apareceu em frente a uma escola, junto com uma cadelinha que também não era conhecida na região.

Aparentemente abandonados, pois não pareciam ser acostumados com a rua, ficaram os primeiros dias circulando próximos a um bar na esquina, mas depois, passaram a se abrigar embaixo de um caminhão que fica estacionado no passeio em frente à entrada principal da escola.

Ninguém os acolheu nem os abrigou. Estavam sendo cuidados na rua, por transeuntes, mas alguns moradores passaram a demonstrar incômodo com a presença deles lá.

O pretinho é um macho ativo e curioso, circulava apenas naquele trecho do quarteirão, latindo pra motoqueiro e carregando saco de lixo.

Protegia a marronzinha quando outros cães se aproximam, latindo muito. A marronzinha é uma fêmea e não evoluiu bem.

Desde quando apareceram na região, ela tinha uma área com o pelo raspado na lateral da parte traseira do corpinho, aparentando castração ou algum procedimento recente.

Menorzinha e mais magra, começou a ficar prostrada, passando muito tempo deitada, inicialmente na esquina, depois ao redor ou embaixo do caminhão.

Não foram acolhidos e continuavam na região. A marronzinha piorou, passando a não conseguir se levantar, mal se apoiando nas patas dianteiras, e comendo deitada. Seus amigos decidiram então buscar ajuda pra ela.

Por 10 dias, não houve oferta de ajuda. Como a cadelinha marrom piorou, o vídeo dela debilitada ganhou repercussão nos grupos de ajuda e montaram um grupo de WhatsApp para organizar melhor, entre os que estavam dispostos a efetivamente ajudar.

Enquanto se organizavam, a cadelinha marrom desapareceu de lá. Alguém a tirou do local e não avisou os moradores das casas próximas.

Apenas depois souberam, por informações de moradores do bairro, que ela teria sido acolhida por uma senhora daquele mesmo quarteirão.

Sensibilizada com sua situação, ela realizou o resgate independente e espontaneamente, sem saber da mobilização via redes sociais para tentativa de ajuda para o caso.

Segundo as informações, a cadelinha foi encaminhada para avaliação veterinária no mesmo dia: Tudo indicava que havia passado por castração recente, mas seu maior problema era a desnutrição, que chegou ao extremo dela não conseguir mais andar.

Está acolhida e sendo cuidada. Em breve estará boa. Agora se chama Lili e o lar temporário se tornará definitivo. Todos estão na torcida por ela.

Então, o grupo de ajuda decidiu pelo resgate do cachorrinho pretinho, que estava sob ameaça e agressões sofridas no local. Agora, precisam encontrar um lar de amor para ele, que ganhou o nome de Tito.

Foi encaminhado a uma clínica veterinária para avaliação inicial. Está bem clinicamente, sem alterações na avaliação inicial, mas muito assustado, apesar de ser muito dócil.

Realizou teste de Cinomose, Leishmaniose e Doença do Carrapato para triagem, que deram negativo.

Fez uso de Simparic, iniciou vermifugação e estão programando iniciar vacinação. Foi encaminhado a um abrigo, onde ficará com outros animais, mas precisa urgentemente de um lar.

Se você tem a intenção de adotar um cãozinho agora, abra o seu coração e dê a esse autêntico vira-latinha a chance de conhecer o calor de um lar de amor.

Se você não tem a intenção de adotar um cãozinho agora, apresente-o a seus familiares e amigos de bom coração. Seja a ponte que falta pra essa adoção acontecer.

Ele já saiu das ruas e a vida dele pode se transformar muito mais com a nossa ajuda. Tito tem um ano e meio, é de porte médio para pequeno, pesa 11 a 12 quilos e está castrado.

Contato: Jane: (31) 9 8647.5646 / Naiara: (31) 9 8785.6791 / Valécia: (31) 9 8650.9605.

E-mail: ncosouz@gmail.com

Número do anúncio: nov20-0031-mgPR

Comentários / Mais informações sobre o anúncio devem ser obtidas com os anunciantes, no telefone ou e-mail indicados acima.