Tweetar

Compartilhar



Conheci a Pitucha no dia 18 de abril de 2013. Ela havia acabado de chegar à SMPA e estava no canil dos sarnentos.

Aquele olhar pedindo ajuda foi dos mais angustiantes que já vi. E tenho que confessar que não achei que ela tivesse salvação.

Pitucha SMPA 1

Seu estado geral era grave, muito grave. Seu corpo estava tomado de feridas, que teimavam em ocupar o lugar que devia ser de um pelo amarelo, macio e curto.

Pitucha SMPA 2

Naquela ocasião, tínhamos que focar nos números e retirar de lá aqueles que tivessem mais chances de adoção.

Assim foi feito e a Pitucha nunca era a “bola da vez”. Seu resgate foi adiado, ou porque ela não estava pronta para adoção, ou porque, dentre os mais necessitados, haviam sempre outros em piores condições.

Reencontramos a Pitucha em Janeiro de 2014. Estava melhor, mas ainda longe do que ela merecia.

Pitucha SMPA 3

Por fim, Janeiro de 2015. Já sob nova direção, muitas coisas haviam mudado, a começar pelos cães, que não eram mais os mesmos que ali ficaram, e que nunca vou conseguir esquecer.

A Pitucha dava sinais de melhora, mas ainda longe. Os quase dois anos no abrigo não fizeram muito por ela e estava claro que, fora dali, suas chances de cura seriam bem maiores.

Pitucha SMPA 4

Ela ainda tinha falhas no pelo, mas já abanava o rabinho e mostrava a quem tivesse olhos de ver que ela era uma cadelinha carinhosa e muito boazinha.

Pitucha SMPA 5

Suas qualidades não passaram desapercebidas. A SMPA vem passando por mudanças e as principais estão sendo operadas por voluntários, que chegam de todos os lados.

http://oloboalfa.com.br/smpa-a-revolucao-dos-voluntarios/

E uma dessas tantas voluntárias é a Raquel, cuja tarefa ali era ajudar no Canil nº 13, onde estava a Pitucha.

Pitucha SMPA 6

Ali ela conheceu a menina e começou a se encantar. Havia algo no ar, que a Pitucha já sabia, mas nós, humanos, às vezes, precisamos de um pouco mais de tempo pra entender.

E quando esse tempo não chega, a vida nos dá um tranco. Neste caso, a sacudida que faltava foi uma briga entre os cães, em que a Pitucha foi a vítima.

Foi o sinal que faltava para que a Raquel entendesse o recado.

Pitucha SMPA 7

As notícias da menina continuam chegando. E nós teremos grande prazer em atualizar este post. Se, diante de tantas mortes, a Pitucha sobreviveu, é porque a vida dela tem um propósito. Não sabemos qual é, mas a Raquel vai descobrir e nos contar.

Pitucha SMPA adotada 3

Pitucha SMPA