Tweetar

Compartilhar



Perdemos uma grande amiga ontem: a SHIVA, nossa cadela.

Era amiga. Era bebê. Às vezes filha, às vezes mãe.

Às vezes valente, caçadora. Às vezes um poço de medo…

Era fiel e doce feito mel.

Era elegante, grande mas delicada, uma dama.

Adorava as frutas mais caras: melão Rei, pera portuguesa, uva sem caroço, mas também comia banana.

Pão de queijo assando, implorava com aquele olhar e quem resistia?

Sentava-se de bunda como uma tia velha.

Se a chamasse pelo nome, dependendo do tom, ela já vinha cabisbaixa, culpada…

Amava abertamente, inconsequentemente, incondicionalmente.

Era de uma espécie diferente, nem humana nem bicho.

Devia ser anjo!