Tweetar

Compartilhar



Antônio é um cavalinho claro, com todos os sinais de que passou tempo demais em escravidão.

Seus cascos trazem as marcas das ruas esburacadas, por onde ele caminhou puxando carroça pesada.

Apesar disso, ele é um cavalinho parrudo, bem forte e ainda pode ter um resto de vida com mais dignidade, com liberdade e longe dos instrumentos de tortura.

Não será doado para pequenos serviços, nem mesmo para montaria de crianças. Ele já cumpriu a cota de sofrimento e queremos pra ele uma aposentadoria digna.

Já a sua companheira Jacira não teve a mesma sorte e só foi resgatada depois que os anos de escravidão já haviam apresentado sua conta.

O peso das carroças roeu seu couro até chegar na carne. Está em tratamento e em breve a ferida irá cicatrizar, mas é claro que ela não poderá mais suportar um só grama de peso nas costas.

Jurema e Biro-Biro são casos muito especiais. São bonzinhos e podem viver muito bem até em apartamento.

Jurema foi resgatada de maus-tratos, depois de ter passado uma vida inteira atrelada a uma carroça, muitas vezes sem descanso entre uma jornada e outra.

Ela foi muito maltratada. Passou por sofrimentos que não merecia e nem precisava. Foi explorada por gente sem escrúpulos, que pensou no dinheiro e na vaidade, às custas do sofrimento dela, até mesmo depois que ela já não aguentava mais.

E hoje, o que temos é um apelo. Temos pra doar uma eguinha velha, muito doente, cega de um olho, com lesões e marcas por todo o corpo, e que não tem mais nada a oferecer aos futuros donos.

Ela precisa ser doada para localidades bem próximas de Belo Horizonte, pois não aguenta viagem. Precisa de um tratador com olhar mais atento.

E, pra piorar ainda mais as suas chances, ela acabou se afeiçoando a outro pangaré como ela, quase tão judiado quanto, chamado Biro-Biro, que traz muitas fraturas pelo corpo, já calcificadas.

Os dois se apoiam, se ajudam, se estimam.

Então, como última coisa que podemos fazer por eles, estamos agora buscando uma adoção conjunta e muito especial.

Nem precisamos explicar que eles não servem mais pra nenhum tipo de trabalho, nem mesmo para fazer fotos com crianças pequenas em seu lombo.

Precisam de aposentadoria e vida digna. Precisarão de suplemento no coxo, sal mineral, água bem fresquinha e vermifugação regular.

Contato para adoção: (31) 9 9930.2004.

E-mail: vlamacedo@hotmail.com

Além desses, vários outros esperam por adoção. Todos eles alforriados, geralmente depois de uma vida inteira de sofrimento e dor.