Tweetar

Compartilhar



Carta aos vizinhos.

Olá, boa tarde. São 16h e acabei de enterrar minha cadela. Ela morreu vítima de uma picada de aranha. Ela lutou durante vinte dias mas não resistiu. Ela se foi, a saudade ficará, a dor está presente, mas a gratidão e a honra por ter convivido e aprendido tanto ao longo de nove anos é infinitamente maior. Sou muito grato a Deus pela oportunidade que ele me conferiu por tantos momentos de amor, carinho e aprendizado. Clara era uma cadela muito especial. Hiper inteligente, super carinhosa, pacífica, educada e muito amada.

Obrigado a todos os amigos e familiares que deram carinho e atenção a este ser divino. Tenho certeza que todos contribuíram para o seu processo evolutivo nestes anos.

Mas voltando aos vizinhos… enquanto preparava a cova da amada Clara, um latido incessante do cachorro do vizinho rompia meu choro e minhas orações de gratidão e saudade. Este cachorro fica preso 99% do tempo em um canil de 2 m2. O curioso é que o lote mede 1200 m2. Tem muito espaço para o cachorro, mas ele fica confinado numa cela. Enquanto eu cavava o cachorro latia muito… e sua dona ou cuidadora reclamava aos ventos a atitude do cão. Meus sentimento se conflitavam com a cena e pensava em como seria se esta companheira ficasse no canil e vendo o mundo livre ao seu redor. Como seriam seus sentimentos? Quais seriam seus desejos?

Como ainda somos egoístas. Como ainda temos ações tão pequenas diante de uma vida tão maravilhosa. Como oramos com os lábios dizendo a Deus que seja feita a vontade Dele, mas nossos atos revelam que vemos a divindade como um mordomo que deve atender aos nossos caprichos mesquinhos.

Espero que este momento de dor para mim possa ser um momento de despertar para alguns corações acomodados no tempo. Espero que este depoimento possa sensibilizar almas que aprisionam aves, que prendem cachorros em canis, que prendem emocionalmente companheiros, que aprisionam sentimentos inferiores, que encarceram pensamentos negativos.

Louvemos a Deus o dom da vida. Agradeçamos a todo instante a tantas oportunidades que a tua misericórdia nos confere. Valorize, respeite e seja muito grato pelas pessoas e pelos seres que Deus permite que você cuida e convive.

E aos nossos queridos vizinhos, com todo o respeito, desejo que a cada novo latido do seu estimado cão, que vocês lembrem de que enquanto vocês estão reclamando que seu cachorro preso late por desejo de exercer seu direito a liberdade, muitos corações oram a Deus para escutar os latidos ou as vozes de seres queridos que se foram.

Cuide dos seus animais muito bem, com muito respeito e gratidão para quando chegar o dia de vocês terem de enterrá-los, poderem sentir saudade e gratidão e não arrependimento e tristeza.

Que Jesus nosso divino mestre envolva-os cada dia mais com tua luz e teu amor. Ame ao próximo e isso inclui os animais, como a si mesmo. Façais aos outros o que você gostaria que vos fizesses. Com essas leis sendo vivenciadas, nosso mundo estaria muito melhor.

Paz a todos!

Clara

Por Cícero Junqueira: https://www.facebook.com/cicerobastosjunqueira?fref=nf