Tweetar

Compartilhar



A espécie é endêmica do Brasil, sendo encontrada apenas nos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro.

É insetívoro, solitário e de hábitos noturnos. É considerado inofensivo, desde que o agressor não se atreva a tocar nele. Ao contrário do que ensina a crendice popular, ele não lança espinhos, mas apenas os eriça quando se sente ameaçado, o que o torna quase inviolável.

Com a destruição das matas, não é raro que um espécime invada uma casa ou garagem, em áreas urbanas. E quando isso acontece, a polícia ambiental é a mais capacitada para captura-los e dar-lhes o destino certo.

Espeto foi recolhido em uma garagem de uma casa pela Polícia Ambiental e levado ao Centro de Triagem do Ibama.

No CETAS ele ficou apenas alguns dias. Foi examinado e, constatando-se que ele estava bem, o caminho seria devolvê-lo à natureza o mais rápido possível. E assim foi feito.

O menino, que chamaremos de Espeto, chegou ao nosso território em uma caixa de papelão, bem fechada.

Espeto 1

Foi aberta pelas mãos da veterinária responsável por ele. Foram alguns instantes de dúvida até colocar o focinho pra fora da caixa e tentar reconhecer o ambiente.

O lugar escolhido foi ao pé de uma montanha, ao lado de uma frondosa figueira, ao lado de um curso d’água.

A luz do dia o incomodava. Sendo uma espécie de hábitos noturnos, eles se sentem vulneráveis durante o dia. E o Espeto estava claramente inseguro.

Espeto 2

Foram alguns minutos de dúvida. Primeiro o focinho, depois uma mãozinha e, enfim, a cabeça.

Espeto 3

Olhou tudo em volta, inclusive notando a presença humana, de alguns poucos que ali estava exatamente para libertá-lo.

Depois, voltou-se para o interior da mata, como se tentasse reconhecer um território que nunca foi dele, mas que esperamos seja acolhedor.

Espeto 4

Os ouriços não são animais muito ágeis. Ninguém esperava que ele deixasse a caixa correndo e aos saltos.

Estamos ali pra assistir uma lenta escalada rumo à copa das árvores, onde certamente ele se sentiria em casa.

Espeto 5

E assim, exatamente como previsto, ele partiu.

Espeto 6

Lentamente, um passo de cada vez, ele pôs-se a subir rumo ao céu, ou à liberdade.

Espeto 7

Tivemos tempo de registrar cada passinho. Às vezes, uma parada pra sentir o cheiro da mata.

Espeto 8

Embora de hábitos solitários, esperamos que o Espeto encontre sua alma gêmea. Já tivemos a oportunidade de flagrar outros da espécie em nossas matas. Sabemos que ali ele encontrará seus pares.

Espeto 9

À medida que subia, ele ficava cada vez mais distante de nossas lentes, e mostrava-se mais confiante a cada passo.

Espeto 10

Seus próximos passos são também previsíveis. Ele buscará o refúgio nos galhos mais altos e esperará o cair da noite, quando então sairá para se alimentar.

Besouros, lagartas, mariposas e outros insetos são a base de sua alimentação.

Espeto 11

A árvore escolhida é uma figueira centenária, que dará a ele o suprimento de proteção e segurança, até o cair da noite.

Vá em paz, amigo. Que você seja feliz, que encontre seu caminho e que se mantenha longe das cidades.

Espeto 12

Agradecemos ao IBAMA e ao IEF pela confiança. Que outras propriedades sejam preservadas para receber animais silvestres.

Espeto

Espeto 13

Espeto 14