Tweetar

Compartilhar



Juca é um gambá-de-orelha-branca, um pequeno marsupial (Espécie que carrega os filhotes em uma bolsa), e que vive em pequenas áreas de mata.

Com a destruição de parques e habitats maturais, alguns migram para as cidades, onde eventualmente são encontrados.

São onívoros, têm hábitos noturnos e, por isso, raramente são vistos.

E que pena que histórias assim ainda acontecem! Alguns animais diferentes, quando são encontrados nos terreiros das casas, são atacados por animais domésticos ou, o que é pior, são atacados pelos humanos, que, não se sabe porquê, acham que devem mata-los.

Não é possível imaginar as razões de tamanha estupidez. Estes animais são tímidos, não causam mal, não transmitem doenças e estão no mundo pra viver e evoluir, como qualquer terráqueo.

Juca 1

O Juca foi ferozmente atacado a paus e pedras, por algum ignorante que achou que precisaria matá-lo.

Porguntado porquê, não soube responder, muito embora saibamos que pra tal pergunta não há resposta racional.

Ele teve um olho arrancado e sofreu graves danos cerebrais, além de muitas e graves feridas pelo corpo.

Depois da agressão, alguém decidiu intervir e acabar com aquela insanidade, acionando alguém que pudesse ajudar o pequeno, que àquela altura, já estava machucado demais pra ir embora com as próprias pernas. Ele foi resgatado e levado para uma clínica veterinária especializada.

Juca 2

Foram meses de tratamento intensivo, com muito sofrimento. Por milagre, Juquinha conseguiu se recuperar, inclusive dos danos cerebrais.

Alguns furos nas orelhas, cicatrizes pelo corpo e um olho inutilizado ficariam como lembranças de um trágico encontro com a espécie mais destrutiva do Planeta.

Mas, apesar de tudo, ao final, Juca estava melhor e em condições de tentar uma nova vida, longe da cidade.

Juca 3

Foi solto em uma reserva, longe de tudo. Não sabemos se ele conseguirá sobreviver por muito tempo, mas definitivamente, ele merecia essa tentativa.

Juca 4

Assim que se viu em liberdade, ele cuidou de buscar abrigo em uma moita de bambus, construiu, ali mesmo, uma cama de folhas secas e se acomodou.

O menino tem hábitos noturnos. Dormirá o resto do dia, pra começar nova etapa assim que cair a noite, que é o ambiente onde ele se sente mais protegido.

Encontrará nos arredores um bom suprimento de frutas, poderá saquear alguns ninhos, mas o importante é que consiga encontrar seu lugar no mundo.

Juca 5

Outros de sua espécie estarão por ali. Quem sabe o sentido da vida se faz presente?

Que as pessoas entendam que animais não precisam ser mortos, que somos capazes de dividir o Planeta e que aqui tem lugar pra todos.

Vá ser feliz, Juquinha. Ficaremos na torcida.

Juca 6

ATENÇÃO: Se você encontrar um animal silvestre em perigo, entregue-o ao Ibama, à polícia ambiental ou a uma clínica veterinária parceira dos órgãos ambientais.

Juquinha foi  salvo pelos amigos do Centro de Conservação da Fauna, um grupo voltado para a proteção de animais silvestres, vinculado ao Hospital Veterinário Animal Center, do médico veterinário Leonardo Maciel.

O grupo precisa muito de apoio de padrinhos e madrinhas para continuar ajudando animais como o Juquinha. Para quem se dispuser a ajudar, seguem os dados bancários e endereço.

Clínica Veterinária e Pet Shop Animal Center Ltda – ME – CNPJ 08.664.905/0001-78. Banco Itaú (341). Agência 3179-5 / Conta Corrente: 27.221-0.

Avenida Portugal, nº 3871, Bairro Itapuã, em Belo Horizonte, Fone: (31) 3492.9321.

CCF e Animal Center

Quem quiser conhecer mais sobre o CCF (Centro de Conservação da Fauna), acesse o site abaixo e veja quantos bichinhos eles ajudam.

http://www.centrodeconservacaodafauna.com/

Juca