Tweetar

Compartilhar



Este menino foi encontrado entre duas avenidas movimentadas, às 06:30 da tarde, na hora de trânsito intenso.

Estava correndo de um lado pra outro, na frente dos carros, deixando claro que não sabia o que estava fazendo ali.

Tentamos chamá-lo, mas estava assustado demais pra dar trela a estranhos.

Zico 1

Chegamos a pensar que terminaríamos o dia resgatando um cãozinho atropelado ou assistindo a uma prematura despedida.

Conseguimos pegá-lo com a ajuda do meu filho, que se sentou na calçada e chamou por ele. Talvez ele tivesse alguma afinidade com crianças. Aproximou-se com cuidado e, numa distração, conseguimos dar o bote e tirá-lo do chão.

Estava cansado demais pra resistir. Também não esboçou qualquer reação agressiva.

Zico 2

É um Pinscher de apenas 4,9 quilos, ainda jovem. Havia acabado de fugir e não duraria muito tempo na rua. Estava bem cuidado, sem pulgas ou carrapatos.

A primeira noite foi tranquila, pelo menos até as 4 horas da manhã, quando ele acordou, começou a murrinhar e arranhar o portão. Deve ter se lembrado de alguém.

Assim que o dia clareou, fomos cuidar de animar o rapaz, chamando toda a turma pra brincar.

E ele topou a brincadeira. Entrou discretamente na confusão e deixou claro que apreciava a companhia dos seus.

Zico 3

As meninas bem que poderiam ter dado um pouco mais de trela pra ele, mas mesmo assim, deu pro gasto.

Demos a ele o nome de Zico, o que, aliás, combina bem com ele.

Zico 4

Cada uma, à sua maneira, deu as boas vindas ao rapaz. Pintada, Estopa, Hanna e, por último, uma mascotinha marrenta.

Zico 5

Ele bem que tentou se apossar do território e marcá-lo, o que não agradou, é claro.

Zico 6

Mas nada que durasse além do tempo necessário pra começar nova correria.

Zico 7

Não precisou de muito tempo para que o Zico se sentisse em casa. O rango ele não gostou muito. Parece que não estava muito acostumado com ração. Tivemos que encrementá-la com um pouco de patê.

De resto, as brincadeiras foram intensas e duraram um dia inteiro. Só foram interrompidas no fim da tarde, para que o menino pudesse fazer a sua primeira visita ao veterinário.

Zico 8

Foi avaliado, colheu sangue para exames e iniciou a vacinação.

Ficou bem estressado na clínica e foram necessários meia dúzia de braços pra arrancar umas gotinhas de sangue.

Mesmo assim, ele não usou os dentes uma única vez. Chorou, gritou, mas não usou os dentes. É um cãozinho de colo e pode conviver muito bem com crianças pequenas.

Zico 9

É cachorrinho de dentro de casa e só será doado para fazer parte de uma família. A lista de exigências não será pequena.

Zico é um cãozinho do bem. Os donos não foram encontrados. Não sabemos se isso é bom ou ruim, mas faremos o melhor que pudermos para que ele tenha uma ótima segunda chance.

Se eles soubessem falar, talvez o pedido fosse para que insistíssemos mais um pouco na busca pelos donos, mas sabemos que esse desejo de reencontro nem sempre é via de mão dupla.

Zico 10

O que importa é que o Zico está bem, amparado, protegido e terá uma nova chance. É um cãozinho feliz e queremos que continue assim.

Ficará por aqui algum tempo, talvez muito. O ideal é que ele possa partir antes que tenha motivos pra sentir saudade de nossa casa e dos amigos que, certamente, fará por aqui.

Zico 11

E pra fechar, este foi o primeiro banho do Zico, depois do resgate.

Foto 782

Zico 12

Zico 13

Mas o destino dele era outro. Ele tinha uma família que procurava por ele. Fomos informados de um cartaz afixado em uma avenida próxima, que trazia a foto de um cãozinho bem parecido.

Saímos então à caça do cartaz e, depois de mais de uma hora procurando por todos os estabelecimentos da citada avenida, localizamos apenas um cartaz que ainda não havia sido arrancado.

Não havia dúvida: Era ele. Uma foto colorida de página inteira mostrava o mesmo cãozinho de orelhas empinadas e rabinho “pelo meio”. O cartaz dizia: Ele atende por Crispim.

Fizemos contato com os donos, que correram para buscá-lo. Tininho e Julcélia são os pais do garoto. Em casa, outros membros da família esperavam por ele.

Zico Crispim 1 Zico Crispim 2

Vá ser feliz amigo. Foram poucos dias, mas suficientes pra sentirmos saudade. Talvez você também, em sua memória ainda rudimentar, se lembre de nós.

Zico Crispim 3

Que fique registrado, nesta história, a importância da coleira de identificação. Poucos têm a sorte do Zico, ou melhor, Crispim.

Zico